SOBRE

Fábio Paiva Marques Pereira, ou apenas Fábio Paiva, como é conhecido no mundo esportivo, tem sua história de vida toda norteada pelo mar e pelos esportes.

Meditante transcedental desde 1981; declara que sempre apoiou suas decisões importantes em sacadas que extraiu de meditações, e assim trilhou um caminho de levar a canoagem como benefício a todos que o rodeiam e procuram. TEAM BUILDING COACH, realiza treinamentos corporativos utilizando a canoagem como exemplo prático e efetivo.

Filho de dois atletas santistas, o casal de nadadores Gilson Nunes Marques Pereira, o Kalu, e de dona Regina Stela, Fabio nasceu em 10 de novembro de 1962, na capital paulista, mas veio residir com os pais em Santos com apenas 5 meses.


O espírito esportivo e aventureiro dos pais, campeões brasileiros de natação, proporcionaram a ele uma infância livre, onde ele e a irmã Cláudia divertiam-se participando de travessias marítimas feitas, literalmente, nas costas dos pais.

Desde cedo Fabio aprendeu a amar e respeitar a natureza, graças a nosso querido Kalu - que também foi atleta de polo aquático - e a dona Regina.

Nem todo mundo sabe, mas o canoísta Fábio Paiva começou na natação, como não poderia deixar de ser, já que este esporte foi a grande paixão de seus pais. Fabio também fez polo aquático, além de ter praticado por muitos anos karatê, chegando inclusive a dar aulas desta modalidade, pela qual também é apaixonado e a quem deve seu condicionamento físico, sua dedicação, foco, respeito e o prazer pela atividade física.

Aficionado pelo mar, aos 10 anos ganhou do pai o primeiro barco a remo. A família era sócia da Ilha das Palmas e foi lá que ele teve a oportunidade de desfrutar de uma infância aventureira e criar intimidade com o mar.
Ausentou-se de sua cidade do coração, Santos, para viver temporariamente no interior de São Paulo, na cidade de Taubaté, onde cursou Engenharia. E foi no 3º ano de faculdade, enquanto passava as férias em Santos, que Fabio teve o primeiro contato com a sua maior paixão: o caiaque.

Foi amor a primeira vista, ou melhor, a primeira remada. Com dinheiro do seu primeiro estágio, ele comprou seu primeiro caiaque. E não parou mais de remar. Em abril de 1984 venceu a sua primeira competição, com um caiaque e um remo totalmente defasados em relação aos usados pelos atletas profissionais. De lá para cá, são mais quase 700 troféus de uma trajetória espetacular de sucesso, história esta que está prestes a completar 35 anos.
Durante uma viagem à Espanha, na década de 90, conheceu a canoa havaiana e apaixonou-se pela modalidade, decidindo traze-la ao Brasil.

Ali começava uma grande mudança na vida do atleta. Pouco depois decidiu dedicar-se integralmente a canoagem, abandonando a carreira de engenheiro. Começou então a fabricar em Santos, canoas havaianas de forma quase artesanal, dando início a empresa Opium, pioneira em Canoagem no Brasil e que gera direta e indiretamente centenas de empregos.
Primeiro campeão brasileiro de canoagem da história, no ano de 1985, na Volta a Ilha de Vitória, Fábio permaneceu 14 anos invicto no país.

Primeiro brasileiro a disputar uma prova internacional, vice-campeão sulamericano no Uruguai, segundo lugar no Campeonato Mundial de canoagem oceânica na Volta a Ilha da Madeira.
Detentor do Recorde de 24 horas remando em mar com distância de 164 km. Tetra-campeão Brasileiro de Canoas Havaianas. São centenas de títulos, um currículo exemplar. Mas muito além de troféus, a canoagem trouxe a Fabio a transformação física e mental que só o esporte proporciona.

Fundador da ABRACHA - Associação Brasileira de Canoa Havaiana, responsável pela introdução do esporte em mais de 15 bases espalhadas pelo Brasil, Fábio foi condutor da tocha dos Jogos Pan-Americanos de 2007, e do fogo olímpico nas Olimpíadas de 2016, tendo a honra de guiar a chama olímpica entre as cidades de Guarujá e Santos, fazendo-o de forma inédita, em seu habitat natural: o mar.

São inúmeros os campeonatos, títulos, histórias, batalhas e conquistas deste atleta, empreendedor, empresário, esportista e pai dos jovens Marina e Fabinho.

Graças ao trabalho e a paixão de Fabio em fomentar este esporte, hoje Santos é considerada a Capital da Canoagem no Brasil. Trata-se de um visionário, que acredita em Santos e em seu potencial náutico, sonhando em ainda em ver nossas águas repletas de canoas e caiaques, de ver nossas crianças praticando esta modalidade tão propícia para a nossa cidade, um sonho que sonhamos e pelo qual lutaremos juntos, pode ter certeza, meu amigo.

Fábio dedicou toda sua vida ao esporte e à cidade de Santos. Um santista de coração e de alma. E que hoje, merecidamente, embarca em mais esta nobre canoa, a dos cidadãos eméritos de Santos. Parabéns ao mais novo santista, Fabio Paiva.
  
Em Santos, São Paulo, 31 de Agosto de 2018.

Rui de Rosis.